APLARTE

Lote - Carta manuscrita

  • Leilão a Decorrer

Leilão Termina Em:

Última Licitação:


EUR

Lance (EUR - €)
Oferta Máxima
Licitar

O seu lance tem de ser pelo menos de Euros.
Saiba Como licitar?

O sistema licita por si.
Introduza o Valor Máximo que pretende dar pelo lote. Saiba mais.

EUR Submeter

A sua licitação tem de ser pelo menos de Euros.

Leilão: 2595 | Lote: 72625 | Licitações: 5

LIVROS

Carta manuscrita

Encabeçada pelo título "Memória", trata-se de uma longa

carta manuscrita, que defende e explora a necessidade da criação de uma

"Directoria dos Theatros Publicos da Corte" que administre e

financie o teatro e os espectáculos em Portugal. A carta procura definir a

importância de um ensino artístico e definir em que moldes este deve ser feito, sendo no final

estabelecido um orçamento detalhado para Companhias de Canto, Dança, Diversos artias

necessarios para o estabelecimento (pintores, alfaiates, maquinistas etc.) entre outros.

A carta não está datada nem assinada, mas menciona várias efemérides, sendo a mais

recente 1815, referindo-se a Manoel Baptista de Paula que administrava o Theatro de S.

Carlos e a Sociedade dos Actores Portugueses. Também referencia o Conde de Beyras e

o Marquez de Bellas. Fala de um "Theatro Nacional" mas também da necessidade da

construçao de um novo edifício para ele. Julgamos que se trata de uma carta redigida

durante o reinado de D. Maria II, mas não indicações de autoria. Seis folhas, com 11

páginas manuscritas, estando a última em branco.

Com um restauro na primeira folha que afecta o texto em ambas as páginas em cerca de

cinco linhas, no restante em bom estado e legível.

De interesse para o estudo do teatro em Portugal.

Adicionar a Favoritos