APLARTE

Lote - Estatutos do Clube dos Makavenkos

  • Leilão a Decorrer
Lote 1 de 40

Leilão Termina Em:

Última Licitação:


EUR

Lance (EUR - €)
Oferta Máxima
Licitar

O seu lance tem de ser pelo menos de Euros.
Saiba Como licitar?

O sistema licita por si.
Introduza o Valor Máximo que pretende dar pelo lote. Saiba mais.

EUR Submeter

A sua licitação tem de ser pelo menos de Euros.

Leilão: 2598 | Lote: 73409 | Licitações: 2

LIVROS

Estatutos do Clube dos Makavenkos

Estatutos do Regimento Makavenkal, Lisboa, Tipografia Expresso, 1900, 16

páginas. No final, surge a direcção do Clube: Alfredo Ribeiro, Marquês de Angeja,

Ângelo de Sarrea Prado, Júlio Mardel e Francisco Grandela. O clube fundado em

1884 por Francisco Grandela e mais 12 amigos que gostavam da boa vida, boa

comida e mulheres. Pelos estatutos, os sócios não ultrapassavam o número 13, mas

podiam levar convidados. Todos eram iguais perante a sopa, o copo e as

makavenkas e nenhum podia namoriscar com a mesma por mais de 15 dias. Findo

este período ela seria declarada “praça aberta” e ele, se insistisse, levava o título de

“lamechas” e a intimação para pôr fim ao relacionamento em 24 horas. Funcionou

no Palacete do Conde de Antas e noutros locais, até Grandela comprar o terreno do

velho Teatro Condes e mandar reconstruí-lo em 1888, reservando a cave para

prazeres ligados ao teatro, que enchia de autores, actores e actrizes. Ali se implantou

a sede makavenkal para jantares, festas, banquetes e, mesmo, sessões de espiritismo,

por onde passou uma boa parte da alta sociedade e da intelectualidade masculina.

Peça de colecção da maior raridade. Não consta dos catálogos da Biblioteca Nacional

Reserva: 50€

Adicionar a Favoritos